NetGreen Heat

‘Netgreen Heat’ é um sistema simples de utilização da energia solar, disponível ao longo de todo o ano, na produção de água quente doméstica (AQD), no aquecimento dos espaços da casa, e no aquecimento da piscina quando o aquecimento ambiente é desnecessário.

Um sistema de aquecimento auxiliar será necessário para compensar as alturas em que a insolação não é suficiente para preencher os requisitos totais de aquecimento (por exemplo quando chove).

O sistema auxiliar que propomos é uma bomba de calor aerotérmica, cujo custo energético é o menor possível quando comparado com outras formas de aquecimento instantâneo. Mesmo se em sua casa já beneficia de uma tarifa energética baixa, nós conseguimos reduzir-lhe significativamente os gastos com eletricidade.

A solução standard, na qual o nosso orçamento se baseia, consiste em:

  • 12 coletor solar térmicos com as dimensões máximas permitidas pelo tamanho da sua piscina (Area 17.5m²) ;
  • Um cilindro de água quente de 500 litros, para o armazenamento térmico requerido pelo aquecimento ambiente;
  • Um cilindro de água quente de 200 litros, destinado ao armazenamento da água para uso doméstico;
  • Uma bomba de calor aerotérmica de 6kW, bem como os manípulos e tubagens indispensáveis à integração deste sistema com os sistemas de aquecimento pré-existentes;
  • Três ventiloconvectores de parede (ou de tecto) de 2kW, que podem ser montados em qualquer parte da sua casa;
  • Um permutador de calor para o aquecimento da piscina;
  • Um sistema de bombeamento adequado à circulação de água nos diferentes sistemas;
  • Um sistema de controlo e respetivos sensores e electroválvulas;
  • Toda a canalização necessária ao sistema novo e ao preexistente.

Disponibilizamos também outras variações, devidamente explicadas na coluna da esquerda (onde se encontram detalhados os diferentes componentes que constituem o NetGreen Heat).

A solução standard permite um aquecimento adequado dos espaços da casa durante todo o período em que este é necessário (Outubro a Abril). Os três ventiloconvectores de 2kW são normalmente posicionados nas zonas de cirulação mais próximas das áreas habitáveis do piso térreo (perto da sala, por exemplo). A ideia é fornecer à zona central da casa uma fonte constante de aquecimento de baixo custo, de modo a manter aquecidas as estruturas de massa pesada do edifício. O calor ambiente permuta-se então gradualmente pela casa, desde que não haja pontos de infiltração ou correntes de ar.

Descobrimos, por experiência própria, que a necessidade de calor adicional será mínima, mesmo durante as noites de Inverno. De qualquer modo, a bomba de calor providenciará todo o calor porventura necessário durante as raras ocasiões em que a temperatura do dia tiver sido, de facto, insuficiente. Claro está, tudo dependente das características de tamanho e estrutura da casa.

Se, ao instalar a solução standard NetGreen Heat, a casa já possuir um sistema de aquecimento central, nós por norma aconselhamos a manter o sistema original para suprimir essas instâncias esporádicas de necessidade de calor adicional, adaptando no entanto o sistema de água quente (AQD) para o uso de energia solar e bomba de calor em vez da caldeira.

Instalamos também sistemas maiores, que combinam ventiloconvectores de parede (ou de tecto) com piso radiante. Devemos porém mencionar que a instalação de piso radiante é um trabalho de restruturação considerável que requer obras extensivas.

Outras opções adicionais vão desde a inclusão de um sistema de refrigeração (chiller de adsorção), que utiliza a energia solar térmica como fonte de energia principal, à consultoria e design de projetos de remodelação total de edifícios com vista na auto-sustentabilidade.

Energia solar térmica

O termo ‘solar térmico’ designa um sistema no qual a energia do sol é capturada específicamente para a utilização do seu calor (sendo que a outra grande tecnologia solar usada na construção, a fotovoltagem solar, é usada na geração de eletricidade). O uso da energia solar para o aquecimento de água está comercialmente disponível na Europa há 40 anos, e é uma tecnologia muito reconhecida. Portugal oferece um bom clima para soluções solares térmicas, beneficiando de cerca de 80% da energia solar que é recebida na linha do Equador.

A quantidade de radiação solar recebida (também chamada de insolação solar) é medida em kWh/m2 (kilowatts-hora por metro quadrado) sobre um período de 24 horas. Por exemplo, num dia de Julho em Cascais há, em média, mais de 6kWh/m2 de insolação solar. A principal aplicação do solar térmico em Portugal é no aquecimento de água para uso doméstico, havendo no entanto sistemas combinados que usam armazenamento térmico diretamente ligado ao aquecimento ambiente de baixa temperatura (como aquecimento do subsolo ou termoventiladores). Em casos de calor extremo, como no Alentejo, pode-se usar água aquecida pelo Sol para gerar água arrefecida, para refrigeração, através do uso de um Chiller de Adsorção.

Sistemas "Combi"

Um sistema solar 'Combi' oferece o aquecimento solar de espaços (e potencialmente o arrefecimento, também) bem como água quente doméstica, a partir de uma série de coletores solares térmicos. Os restantes requisitos caloríficos são prestados por uma ou mais fontes auxiliares, de modo a assegurar a disponibilidade de água quente depois da água aquecida pelo Sol se esgotar.

Há mais de uma década que os sistemas 'Combi's são instalados na Alemanha, Áustria, Suíça, Dinamarca, Suécia e Noruega, apesar destes países receberem menos energia solar do que Portugal. A partir das elações tiradas e da pesquisa e desenvolvimento empreendidos, diversos critérios de design foram concebidos.

O tamanho e complexidade dos sistemas 'Combi', bem como o número de opções possíveis, fazem com que a comparação das diferentes opções de design não seja uma tarefa assim tão simples. Nós selecionámos algumas das alternativas disponíveis, concebendo as nossas propostas a partir de um design comprovadíssimo, que integra uma piscina para dissipar de forma útil o calor do Verão.

Readaptação de sistemas de aquecimento pré-existentes

O custo da energia tem aumentado todos os anos, tal como o aquecimento global, portanto substituir um sistema de aquecimento convencional pelo NetGreen Heat é, cada vez mais, uma opção lógica a considerar.

Mesmo só o aquecimento da água para as limpezas já se torna excessivamente caro, usando os métodos tradicionais, com um aumento anual estimado em 3 a 5%. O gráfico ao lado ilustra os custos de usar gás natural, gás propano em botija, eletricidade, e óleo de aquecimento. Uma família de quatro elementos usa aproximadamente 200 litros de água quente por dia.

Nas três estratégias abaixo pode-se assumir que o sistema solar providenciará a capacidade de água quente na sua totalidade, ao longo do ano. Mesmo em caso de chuva o sistema recebe radiação solar suficiente para gerar água quente.

Três estratégias de substituição:

Instalação da nossa solução standard:

Por norma, se já houver um sistema de aquecimento central instalado, fazemos apenas alterações na parte da canalização que está relacionada com o sistema de aquecimento de água. O cilindro de água quente preexistente pode ser aproveitado, na maior parte dos casos, com a opção de usar o sistema de aquecimento original como reserva.

O nosso circuito de água quente a baixa temperatura (onde a água circula a 40ºC) não será conectado ao sistema de aquecimento original (onde a água circula a cerca de 80ºC), sendo preferível que este último se ligue apenas nas ocasiões em que a temperatura ambiente exterior é suficientemente baixa para o justificar.

Assim, devemos considerar a solução standard NetGreen Heat um sistema de poupança energética significativo, mas não uma solução definitiva para o aquecimento ambiente da sua casa, por si só. Para ter uma noção do quanto pode vir a poupar, veja a página ‘Custos e poupança’.

Substituição de radiadores por ventiloconvectores:

Supondo que os tubos de distribuição de calor podem ser reutilizados e que há uma tomada perto de cada radiador, a instalação dos ventiloconvectores é rápida.

Cada ventiloconvector pode ser controlado pelo termostato adjacente e por um comando programável, com, caso deseje, opções adicionais de eficiência energética baseadas na ocupação dos espaços. O método principal de controlo será a velocidade da ventoínha.

Uma bomba de calor de maiores dimensões é um requisito, trabalhando em conjunto com o sistema solar, em escala com as características de potencial perda de calor da própria casa. Se se revelar vantajoso, a caldeira é mantida e integrada no novo sistema de modo a servir como opção de reserva.

Renovação da casa ou nova construção:

Sugerimos a instalação da melhor combinação possível, para proporcionar ao seu ambiente doméstico o máximo de saúde e conforto, com um custo de manutenção mínimo.

Se for importante para si que a temperatura interior se mantenha fresca durante o Verão, a instalação de um chiller de adsorção com características de arquitetura passiva é uma forte opção a considerar.